Sala do Trono restaurada

A Sala do Trono ou das Audiências do Palácio Nacional de Mafra, que se distingue pela sua decoração mural, foi apresentada ao público no ano em que se assinala o tricentenário do lançamento da primeira pedra do monumento, após concluídas as obras de restauro, que tiveram como mecenas a Fundação Millenium BCP.

Sobre a história da Sala do Trono

A decoração mural desta sala fez parte de uma campanha encomendada pelo Príncipe Regente, futuro D. João VI. Iniciados cerca de 1804, os trabalhos nela realizados foram dirigidos por Volkmar Machado e Manuel Piolti.

Sempre que a Família Real se encontrava em Mafra, aqui se realizava a cerimónia do “beija-mão” nos dias de aniversário real, nos dias onomásticos, Natal, Ano Novo e outros dias solenes. Este costume manteve-se até à abolição da cerimónia por D. Pedro V. A sala ficou então fechada, chegando inclusive a ser utilizada como Casa da Fazenda (guarda-móveis) do Palácio, ainda durante a monarquia.

A partir de 1911, o Paço Real foi abrindo progressivamente as salas ao público e esta sala, tal como diversas outras, foi objeto de uma intervenção de restauro. 

Apresentação do restauro da Sala do Trono do Palácio Nacional de Mafra