Loja do Cidadão de Mafra

O Concelho vai dispor de um pólo próximo e agregador da oferta de serviços públicos, no antigo edifício dos Bombeiros de Mafra. “Esta Loja do Cidadão integra-se num novo modelo de atendimento dos serviços da Administração Pública, o qual só é possível com a cooperação dos municípios. Em Mafra, temos um exemplo desta cooperação, mas também de liderança e de mobilização”, destacou o Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, na cerimónia de assinatura do protocolo.

 

Assim, contribuindo para uma racional afectação dos recursos públicos, desde logo pelas economias de escala que conseguem realizar por via da proximidade, a Loja do Cidadão de Mafra será gerida por quem melhor conhece o território e a população nele residente, bem como as necessidades desta no acesso aos serviços públicos: o Município. 

Resultado do projecto-piloto de parceria entre o Governo e o Município, a Loja do Cidadão de Mafra articula-se, por sua vez, com a rede complementar e descentralizada de oito Espaços do Cidadão nas Freguesias, as quais estão, a curto prazo, em fase de instalação. “O objectivo é colocar o cidadão no centro da organização dos serviços públicos”, sublinhou o Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro.

Esta nova Loja do Cidadão vai ser instalada no edifício do antigo quartel dos Bombeiros Voluntários de Mafra, localizado no Avenida 25 de Abril, o qual foi recentemente adquirido pela Câmara Municipal e que, assim, permanece ao serviço da comunidade.

“A escolha deste edifício foi estratégica, considerando três razões fundamentais: centralidade, porque se situa no “coração” da vila, pelo que as novas funções permitirão introduzir um novo dinamismo na vivência do centro histórico; proximidade, porque se localiza, estrategicamente, junto ao Tribunal, aos Registos e Notariado, aos Correios e às principais agências bancárias, possibilitando a constituição de uma autêntica “Mega Loja do Cidadão”; e comodidade, porque se disponibilizam adequadas condições de estacionamento na envolvente, nomeadamente no Largo General Humberto Delgado, no Jardim da Alameda e, futuramente, no Alto da Vela, com a dupla valência de parque intermodal e de estacionamento”, explicou o Presidente da Câmara Municipal, Hélder Sousa Silva.

O edil aditou: “esta intervenção tem o mérito de constituir uma espécie de reencontro com a história, uma vez que Mafra já teve reunido no mesmo edifício – no Palácio Nacional – todos os serviços públicos. Ao longo dos tempos, o monumento tem sido gradualmente devolvido à sua verdadeira função de repositório da história. Portanto, Mafra continua a ser pioneira na disponibilização de uma Loja do Cidadão, mas desta feita num novo e adequado enquadramento”.

Sem prejuízo da adesão que vier a ser feita por outros serviços, irão ser instalados na Loja do Cidadão de Mafra, em front-office e em back-office, a Autoridade Tributária e Aduaneira – Repartição de Finanças de Mafra e o Instituto de Segurança Social, os quais se encontram dispersos pela vila, em instalações exíguas e desadequadas, sob o ponto de vista da acessibilidade e do funcionamento. 

Considerando as inúmeras potencialidades deste edifício, estão também previstos espaços de atendimento da Câmara Municipal, mas igualmente de outras entidades que pretendam aderir ao projecto. Podem ser os exemplos dos serviços de água, electricidade, gás e telecomunicações ou dos gabinetes da ACISM – Associação do Comércio, Indústria e Serviços de Mafra ou da AHRESP – Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, entre outros.

A par dos serviços da Administração Central, o edifício será utilizado pela Administração Local. Considerando a instalação do Museu da Música no Palácio Nacional de Mafra, os serviços dos órgãos autárquicos nele sedeados serão aqui instalados: “para além de passar a ser a sede da Assembleia Municipal, dispõe de gabinetes para todos os partidos com assento quer naquele órgão, quer ainda na Câmara Municipal. É assim, por todos os motivos, um espaço de democracia”, declarou o Presidente da Câmara Municipal.

No contexto da cerimónia realizada ontem, foi também apresentado o projecto de arquitectura concebido para unificar conceptualmente esta nova infra-estrutura multisserviços. A música, marca identitária do Concelho de Mafra, constituiu a inspiração, facilmente perceptível na nova fachada, que invoca o teclado dos seis órgãos da Basílica.

 

Inaugurada loja do cidadão